sábado, 17 de maio de 2008

Heróis não existem.

Os heróis morreram. Os heróis nçao existem, e nem ao menos existiram. Foi difícil encarar a verdade quando ela veio à tona, mas tive que ser forte, e saber que não poderia cometer um suicíio aquele momento. Tive que ser forte. Pensar que meu sonho iria sim, se tornar verdade. Não precisava do palpite de nenhum deles, aliás, não preciso deles, nem de ninguém. Sei a hora certa de agradecer e pedir, mas jamais imaginara a hora certa de chorar, e deixar lágrimas de sofrimento lado. É a minha única forma de desabafar. Precisava de um ombro amigo, mas lhe contentava com o papel, a caneta e os sonhos. Tinha de deixar suas obras de lado (há quem chamara de bobagem) para estudar a dolorosa matemática. Aposto que se alguém já imaginou um herói ele não era feito de ciências exatas. Mas sim de amor, ou seja, o que ninguém tem hoje. Foi onde cheguei a dolorosa e triste conclusão que, heróis não existem.

Drivin me wild.

Nenhum comentário: