sábado, 15 de novembro de 2008

Letters.

É como se as cartas escritas não tivessem remetentes. É como se o autor tivesse morrido por dentro. Começava com um lindo "bom dia" e terminara com a dor de um novo anoitecer. De tão corroída pelo tempo, cansou de tentar. De tão cansada de tentar, largou de tudo que pudera amar. Ah pobre anciã da dor, parecia não mais sustentar aquilo que a erguia durante muito tempo. Se um dia as cartas não obtiverem respostas, é que tudo acabou.

Drivin' me wild.

Nenhum comentário: