domingo, 28 de dezembro de 2008

Alone, alone, alone!

Para mim acabou a graça de brincar de boneca, de montar casinha, de amar. Cansei-me de tudo que um dia amava. Parece que mais nada tem o mesmo brilho. As pessoas me cansaram. Não sei se preciso de ares novos ou mudar. Não consigo acreditar no que me dizem. As pessoas são tão cruéis, tão podres, tão desumanas. São comuns, iguais. Irritantes. Não preciso sair do meu canto para me divertir. Isso pode ir, mas deixe-me aqui sozinha. Eu necessito isso! Eu gosto de sonhar, fazer novas cantigas, mas sozinha. Eu não preciso de ninguém, nem nunca precisei. Apenas isso, deixe-me sozinha. Não preciso de amor, de notícias, de fama, de dinheiro. Preciso a mim mesma, como nunca precisei tanto de alguém.


Drivin' me wild.

Nenhum comentário: