quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

De mim para mim mesma.

Ah, pequena poetisa de grandes sonhos.
Sonhos maiores que ela mesma
Alguns sonhos a engoliam
Outros viravam realidade, não só os sonhos,
Mas também os pesadelos.

Não sabe se definir.
Vive na mudança de cada amanhecer!
Ama e não ama, aprende e desaprende.
Corri, cai, às vezes nem levanta.

As pessoas são repletas de medo.
Medo da morte, do abandono, da ausência.
Meu medo é de morrer, e não ser feliz.

Um comentário:

Jordana disse...

Isso foi de você para você mesma... mas eu peço licença de dizer que também é da Jordana para a Jordana.

pinup_dana@hotmail.com

meu msn...

Beijos.