terça-feira, 31 de março de 2009

Vou-me embora...

Nessa minha confusão que é meu coração, nessa minha petulância ao existir, nessa minha consternação de estar, hei de viver assim? Não sei bem se quero. Ah, sim como quero! Cansei-me disso. De amar hoje, odiar no dia seguinte. Pare com isso! Por favor... Ai mente profana, deixe-me ir...

Carolina Cancela.

Sobe, sobe, desce, desce

Mudar significa crescer. ou não? O homem transforma ao mundo e a si mesmo, desde seus costumes até ao seu cotidiano.
Sofrer mudanças ao decorrer da vida é preciso, diria que seja a maior necessidade do mundo. Só que algumas modificações feitas ao homem acabam sendo negativas, e creio que a pior dessas: perda de valores.
Na sociedade em que vivemos, onde um padrão de beleza recria a realidade, estabelecendo algo que pode ser nomeado como utopia. Mas nessa perda de valores o homem perde a ideia da palavra amor.
A vida é um "sobe e desce" a todo o momento, onde as mudanças ocorrem pela ou contra a vontade do homem. Apenas devemos ser cautelosos com o que criamos e como vivemos, não, realmente preocupando-se com as críticas alheias, mas sim pode prosperar afeto em nossa sociedade fria e alienada.
Portanto, mudar pode ser uma parábola positiva ou negativa, e temos plena certeza de que ela irá ocorrer. Porém tentemos mudar para melhor, onde o amor, e não a "Caras", seja o centro da nossa realidade.

Carolina Cancela.

Pra ser diferente, precisa ser igual?

É engraçado a "diferença". Existe uma hora que tentamos fazer essa enorme diferença, que ela se torna igual à de todo mundo.

Carolina Cancela.

sábado, 21 de março de 2009

Ser

O ato de existir é mais simples do que o pensar.
Existir passa. Pensar dura uma eternidade.

Carolina Cancela.

domingo, 8 de março de 2009

The Fear

Foi puro ato de liberdade e dor
Da mais forte, ao mesmo tempo.
Estranho, conciso, difícil, complicado.
Procuro milhões de palavras pra tentar descrever
O que eu ainda não sei bem como é, ou o que é.

Hoje, quando acordei, minhas pernas estavam falhas,
Minha voz quase que não surgia
E minha cabeça... Minha cabeça?
E lá eu sei dessa louca?

Tenho medo.
Nunca tive tantos como agora.
Queria não poder existir
Queria poder sorrir pra um alguém.

No momento que senti teus braços
Deu-me vontade de te trucidar, massacrar.
Mas depois pedir perdão,
E te amar, por todo esse tempo que não o tive.

Não tenho mais noção dos meus próprios sentidos,
Dos meus erros.
Sou uma tola, repleta de medos.

Carolina Cancela.