quarta-feira, 8 de abril de 2009

Que assim seja!

Já fui a que sofri, até demais.
Agora faço sofrer, até demais.
Entre os mais e menos,
O talvez é sempre quem resisti.

Desculpe-me, não era bem assim...
Ou era?
Sou uma farsante.
Farsante de sorrisos, amores, felicidade.

Sou fada da consternação, amargura.
Assim sou.
Toda jururu comigo mesma, ali sentada,
Esconde de mim e dos outros.

Mas às vezes não sei se é bem isso...

Carolina Cancela.

Nenhum comentário: